"Sol, se o dia é de sol, eu vou te encontrar…"

20 jan

dscn4920Tirei uns dias de férias semana retrasada e fui pra Salvador, pra casa do meu primo Henrique. Fomos eu e Catarina (também prima, irmã dele) e depois chegou Gabi (idem). Aí tem um álbum inteirinho do orkut só com essa viagem (mara!!!!) e muita gente me perguntou do meu chapéu grandão, que uso em váárias fotos. Perguntaram se era pra fazer “a madame” ou “a turista”…ahahahaha. Bem, turista, de fato, eu era, né? Eu, em Salvador, conhecendo pontos turísticos era…tcharaaaaaammmmmmm!!!!…turista! Mas nem era por isso. É porque eu fico agoniada MESMO levando sol no rosto. Se bem que no centrão da cidade ou no Pelô, porque esqueci em casa MESMO, lá eu iria de boné [bombeiro de posto de gasolina?] na boa. Eu uso por aqui, de vez em quando, apenas pra não ficar com cara de pimentão.

 

Mas, enfim, nos pontos de praia usei mesmo foi o chapelão de algodão off white, com faixa azul marinho e bolinhas brancas LINDO de me acabar que a própria Catarina me deu de presente de Natal (ela sabe que amo!!!!!!). Bom que é lindíssimo, elegante, dá pra dobrar direitinho e levar na bolsa e, mais que tudo, faz sombra no rosto INTEIRO. Sim, porque a grande preocupação é essa: não tostar. Meu primo ficou espantado porque eu ia à praia de bolsona. Mas como eu poderia ir à uma praia que fica a mais de uma hora sem levar uma toalhinha mínima, canga (pra forrar a cadeira), camiseta extra, pente, bolsa com dinheiro, RG e carteira de saúde (tô em outro estado, nêga…sei lá se eu tivesse um piriri com acarajé…ã…muda o assunto) e TODOS os protetores solares possíveis e imagináveis. Ok, exagero. Mas até o final da adolescência/início da vida adulta (ai, que medo que dá dizer isso…e faz tempo…mais medo!) eu não usava absolutamenet NADA pra proteção solar (o que me resultou em sardas aos montes e manchas nas pernas que os dermatos todos só sabem dizer “é de sol, herança européia”…em vez de castelos eu herdo manchas…e eu nem sou branquelinha…sou aquela coisa “bege” :/). Usava mesmo era o Rayito de Sol…que naquela época nem tinha protetor (hoje tem), era só um “óleo bronzeador” mesmo, normalmente vendido em lojas de importados (lembro que meu pai trouxe montes de Manaus). Mas aí eu cresci (não muito), fiquei mais consciente (+/-…ok, eu tento) e hoje tento me proteger ao máximo. Então agora lá vou eu e meu “kit de sobrevivência no sol” para não tostar, sempre que vou à praia:

- chapelão (às vezes eu uso um chapeuzinho ou um boné…contanto que eu não sinta o rosto queimar tá bom). Protege bem o rosto e os cabelos. Isso é super-importante e já não concebo ir à praia sem. Só tiro pra entrar na água (isso quando não troco por um boné mais velhinho, que eu não tenha pena de molhar…praqueles momentos em que a gente fica lá dentro d’água papeando, de molho, sabe?).

- oclão (é…óculos escuros grandões…certifique-se que ele tem REALMENTE protenção UVA/UVB. Portanto, não vale o óculos de camelô, por mais lindo que seja…porque sei eu tem uns lindos. Mas depois de uns alertas que li em revistas, vi na TV e minha oftalmo disse, preferi comprar os meus em ótima mesmo. Comprei um Ray Ban, nem foi pela marca…é que acho dificílimo comprar óculos que eu goste MESMO em mim…e o valor dava pra pagar…hahaha).

- Protetor solar pro corpo – eu uso um pro rosto e outro pro corpo, porque meu rosto é oleoso e me corpo nem é. Pode ser o Sundown ou outro de uma marca assim, conhecida. Neste verão tenho usado muito o bloqueador solar fator 30 da L’Oreal com Activa Cell (diz que é pra prevenir os efeitos do envelhecimento…bom, né?). Pois é…mesmo preço de qualquer outro protetor solar dos bons e você acha na Americanas, no Bazar do Cabeleireiro, no Hiper, na farmácia…enfim, em qualquer lugar que venda produtinhos razoáveis comuns mesmo. Eu usava o FPS 20 até um dia desses…aí resolvi aumentar e acho que agora é “daqui pra cima”. E foi melhor mesmo. Só não foi 100% porque desta vez esqueci de renovar mais vezes na parte de baixo das costas e ficou rosããão…portanto, aprenda com a “tia Claudia” (xô!)…não adianta ter o melhor protetor do mundo se você não vai usar direito (isto significa colocar logo meia hora antes de ir à praia, sempre espalhar bem, uniformemente e em todo o corpo e renovar de tempos em tempos…SEMPRE! Não pode vacilar).

- Protetor solar pro rosto - aí eu já tenho que usar um protetor que não seja nem minimamente oleoso, ou meu rosto enche de “creca” (cravinhos, espinhas, coceira…) já no dia seguinte. E eu fico mega-agoniada com rosto oleoso, escorregando (tiro na horinha! lenços de papel estão no meu kit-vou-pra-qualquer-lugar). E o fator de proteção tem que ser alto, porque eu tenho sardas e fico logo vermelhona. É que nem um dermatologista me disse “ok, você não é o brancooooona mesmo…mas pense que é que é melhor pra você. Em sua mente, seja, porque sua pele realmente reage assim”. Então tá, doutor. Tenho usado o Episol 45 oil-free. O resultado tem sido muito bom, realmente não queima nadica, mas também não fico branc0-vela…fica bacana.  Mas apesar de ser livre de óleo ele tem uma fórmula assim, meio pesadona, sabe? Se espalhar BEMMM não incomoda.  O fator 30 funciona tão bem quanto e é menos pesado (a minha atual dermato confirmou…quanto mais alto o fator, mais “pesado” é). Gostava muito também do da Pharmapele…gostava ainda mais quando a fórmula era um gelzinho (continua oil-free, mas parece um creme). E a médica também me indicou um outro que agora esqueci qual é , ainda nem comprei (porque havia acabaaaaaaado de comprar o Episol) mas se eu lembrar, depois digo aqui. A L’Oreal também tem protetor totalmente sem óleo, tá?

- Protetor labial - Ahaaaaa! Não acabou não, fófis. Os lábios têm pele finiiiiinha e  se não botar nada fica A desgraça. Já vi gente ficar com a boca machucada de um jeito muito feio só por causa do sol em excesso. E eu que tenho lábios carnudos, não quero ficar assim, né? Existem vááários…há alguns séculos eu usava um Banana Boat. Tenho usado o da Nivea, fator 30 também, há algum tempo. Ótimos resultados (o que pode ser entendido como “nada mudou”…ou seja, não queimou nadica mesmo). Existem vários batons que têm protetor solar…mas se for usar, escolha um que seja MUITO confiável (gosto do Boticário ou Natura).

- Protetor solar pros cabelos - tem vários. Esqueci de comprar e o cabelo ficou kuén. Desculpa, tá?

Enfim (anfan)…é isso. “Só” isso. Ainda tem camiseta (ou uma bata legal de praia, ainda melhor) pra quando esquenta demais; normalmente vai me encontrar debaixo do guarda-sol (menos quando vou caminhar ou entrar na água, claroooooooo…porque eu não tenho essa frescura…se vou à praia, necas de escovinha no fuá…entro na água com tudo e depois resolvo). E, claro, ainda tem o pós-sol…hidratante pro corpo, hidratante pro rosto (novamente, diferentes…pro rosto, totalmente oil free) e uma super-hiper-mega-ultra hidratação pros cabelos (é…são secos). Então tá. Eu falo sozinha, mas falo muitoooooooo. :)

P.S. para quem não sabe, o título do post é tirado de uma música de Reginaldo Rossi chamada “As Quatro Estações” (preguiça de procurar no Youtube…desculpaí…hehe). :P

P.S 2 – sim, eu tirei o relógio pra não ficar a marca…mas não adiantou muito, porque no dia-a-dia eu o uso SEMPRE, inclusive nessa viagem a Salvador…onde estava fazendo sol de 38º na maioria das vezes (aqui em Recife tem feito 31° e já é muitoooooo).

No comments yet

Leave a Reply